quinta-feira, 24 de julho de 2008

Cristianismo, aborto e deficiência

Assim como, no meio do povo surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente heresias destruidoras, até o ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição
(I Pe 2:1)

Com pai de uma criança com Síndrome de Down e moderador de um grupo de discussão sobre o assunto eu acompanho diariamente as notícias que surgem sobre o assunto. Há alguns dias fui surpreendido por um artigo no site “Mídia sem máscara” , onde uma articulista católica dava um puxão de orelha num ex-pastor presbiteriano por ele ter recomendado no seu Blog a um missionário que descobrira que seu filho que estava por nascer teria Síndrome de Down, que o mesmo deveria abortar a criança.

Estarrecido, fui buscar o texto original, que me chocou ainda mais que o artigo que eu tinha lido, nele surgem algumas afirmações assustadoras. Como não acredito que ele seja realmente um pastor, aquele que protege suas ovelhas, vou me referir ao mesmo apenas como o “pseudo-pastor”.

A citações são as originais do texto deste senhor.

Pseudo pastor : "Creio que há duas situações nas quais levar uma gravidez desse tipo até o fim é objeto de aceitação, e que pode virar até mesmo em alegria e contentamento. A primeira é quando o casal não sabe e tem o filho com tal deficiência."

Ou seja , a ignorância prévia justifica ter o filho deficiente ? As pessoas que não tem condições financeiras ou culturais para realizar os sofisticados exames de detecção pré-natal seriam obrigadas a aceitar a deficiência do filho como a vontade de Deus, enquanto que aqueles que tem podem fazer prevalecer sua vontade sobre a do Criador ?

Pseudo pastor : "Conheço muitos pais com filhos portadores da “Síndrome de Down” e que reportam o fato de que tais crianças são alegres e felizes, embora criá-las mude toda a vida do casal e da família, sem falar que na adolescência, com o aparecimento dos impulsos sexuais, em geral os portadores da síndrome manifestam intensa energia de natureza sexual, nem sempre fácil para os pais quanto a fazer a gestão de tais impulsos e suas práticas."

Antes de falar essas coisas , o pseudo pastor deveria se informar melhor. Esse é um dos mitos e lendas sobre a SD (o impulso sexual incontrolável). Eles não são diferentes de qualquer adolescente em época de furor hormonal....o comportamento que eles vão ter (assim como de qualquer outro adolescente) vai depender muito da educação que receberam.

Mesmo que fosse verdade, quer dizer que as pessoas que manifestam intensa energia de natureza sexual não deveriam viver ? Quantas pessoas sem nenhuma deficiência se comportam sexualmente de maneira que julgamos inadequada ? Se, nesse caso a medicina desenvolvesse testes pré natais que detectassem essa tendência, provavelmente esse sujeito recomendaria o aborto delas também ?

Pseudo pastor : "No entanto, se o casal foi informado durante a gestação, e se angustia com o que será de suas vidas e da vidinha da criança, a menos que surja uma súbita convicção da parte de Deus no coração, o que deve ser feito é o que vocês fizeram." (o grifo é meu)

E se surgir uma súbita convicção que Deus não quer o filho mesmo sendo "normal" ?? Como surge essa súbita convicção ?? Estamos falando de novas revelações de Deus ?

A revelação de Deus nas escrituras é clara sobre a proteção à vida. Mais do que isso, Deus deixa bem claro durante toda a escritura que ele é Senhor soberano sobre todas as coisas e que nada acontece sem que ele permita. Quando pergunta a Moisés que dizia ser um deficiente (tinha problemas de fala), Deus responde: “Quem faz a boca do homem? ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego?. Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” (Êxodo 4:10-12)

Nesse momento Deus está assumindo a responsabilidade pela deficiência de Moisés. E Ele diz que fez isso intencionalmente ! Logo, meu filho não é vítima de um “acidente genético”. Deus é o que fez dessa forma. Mas , o mais interessante é que Deus não vê atraso mental, nem cegueira, nem surdez como uma deficiência. Ele não vê nenhum movimento pelo qual o problema de fala de Moisés pudesse impedir que ele fizesse a obra para qual estava sendo chamado. Deus promete não só acompanhá-lo, mas a ensinar o que a sua boca deveria dizer. O sucesso de Moisés na vida não dependia de suas próprias habilidades, mas de Deus que estaria com ele.

Pseudo pastor : "Creio também no Deus que vê o coração, e que não julga como julga o homem, e que sabe com que coração vocês tiveram que fazer isto."

Ainda bem que Deus não julga como o homem... Se julgasse estaríamos todos condenados. Isso não significa que tudo que fazemos de coração está de acordo com a vontade de Deus, pelo contrário, a nossa natureza é pecadora e corrupta e o nosso coração não tem capacidade para decidir pelo bem. A frase é verdadeira, Deus sabe com que coração essas pessoas tomaram essa decisão, com o coração do homem natural.

Pseudo pastor : "Pecado, meu irmão, é ter filhos sem amor, é deixá-los crescer sem afeto, é não educá-los na justiça e na misericórdia, e, sobretudo, é chamá-los à existência sem que se tenha a disposição em amor quanto a cuidar deles; e isso todos os dias da vida que sobre a terra nos for dada viver."

Ou seja, o filho de um estupro é pecado da estuprada ? Os filhos das pessoas que não conhecem meios contraceptivos são resultado do pecado ?

Com essa afirmação também concluo que os filhos que não foram amados pelos pais estão automaticamente excluídos da graça de Deus e, portanto, nunca poderão encontrar a verdadeira felicidade.

Pseudo pastor : "Pecado não é abortar a criança que nasceria sem meios de viver a vida com independência, sendo que tal decisão foi objeto de dor e tristeza (Deus vê) por parte dos pais. Não! Pecado é gerar filhos que existem como abortos vivos no chão da Terra."

Absolutamente intolerável...está chamando os deficientes de abortos vivos ???? Essa semana eu distribuí para os grupos que coordeno uma matéria sobre um paralisado cerebral com grave comprometimento físico...que escreve com a boca...e está no 2o ano da faculdade de jornalismo...isso é um aborto vivo ? Eu preciso apresentar ao pseudo pastor dezenas de pessoas deficientes que levam vidas independentes : cegos que são promotores de justiça, surdos que são professores universitários, tetraplégicos que são gestores públicos importantes, autistas que são grandes músicos, jovens que tem deficiência intelectual que são alunos universitários, bibliotecários, professores de jardim de infância.

Pseudo pastor : "Quanto ao mais, meu querido amigo, cuide bem de sua esposinha, encha-a de amor e carinho, e, tão logo quanto seja possível, busquem juntos ter um outro filho."

Esse não vai ser fruto do pecado....eu imagino...

Pseudo pastor : “O que tanto você quanto a sua esposa precisam saber é que nesta vida, no chão dessa Terra caída, onde nascem aberrações — “cardos e abrolhos”—, ninguém tem a chance de poder fazer o tempo todo apenas as coisas boas e ideais.”

O meu cardo/abrolho está na cozinha ouvindo e cantando músicas de um disco de músicas evangélicas da Igreja Batista da Lagoinha, posso ouví-lo em alta voz cantando “Aos olhos de Deus, você é uma obra prima que Ele planejou com suas próprias mãos...”, depois de passar um dia divertindo-se no parque. Eu o prefiro imensamente mais às rosas artificiais do pseudo pastor.

Não há nada aqui que impeça qualquer pessoa, com ou sem deficiência, de ser bem sucedida diante de Deus. A minha função como pai não é a de preparar os meus filhos (com ou sem deficiência) para ser um membro produtivo da sociedade, mas ensiná-los a respeito da justiça, da bondade e de como caminhar humildemente com Deus.

Os profetas do Antigo Testamento já acusavam os falsos profetas de mentir para o povo e para os reis com o objetivos de agradá-los. Cristo já nos alertava sobre o surgimento de falsos mestres que tentariam nos enredar com suas palavras agradáveis. Eles estão aí ao nosso lado, se intitulam pastores, continuam a distorcer a palavra com o objetivo de agradar aos seus seguidores, relativizam as verdades absolutas de Deus de acordo com os seus interesses, inventam novas revelações de Deus para atingir seus ganhos pessoais.

Fiquemos atentos e alertas. Dediquemo-nos ao estudo da Palavra para que não sejamos enganados pelas palavras falaciosas. E que Deus nos proteja e nos ajude.

7 comentários:

Vilma disse...

Amém.

carloshenrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carloshenrique disse...

Excluir comentário de: Calvinistas, graças a Deus

Blogger carloshenrique disse...

Bom, esse pseudo-pastor não deve conhecer a Bíblia, pois se conhecesse não diria tamanhas bobagens e besteiras, e não ficaria dando tantos maus conselhos, que só trazem tragédias.
Vamos ao que diz a Bíblia.
Em Êxodo 23 verso 26, diz: "Na tua terra não haverá mulher que aborte, nem estéril; o número dos teus dias completarei."
Bom. Só neste texto já fica bem claro que o aborto é proibido por Deus.
Em João 9 versos 1 ao 3, nos diz:
"E passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus."
Bom, se fosse esse falso-pastor com certeza seria bem diferente, e talvez até dissesse que o pai e a mãe do cego deveriam terem abortado tal filho. Mas, a Palavra de Deus diz que aquele cego nasceu assim para que as obras de Deus se manifestassem nele.
Podemos não entendermos porque certas pessoas nascem com deficiência, e nem o porque Deus permite tal coisa. Mas, creio eu que Deus permite tal coisa justamente para provar se realmente amamos os nossos semelhantes, não somente por palavras, mas também por atos.
Que Deus nos proteja desses falsos-pastores que distorcem a Bíblia para justificarem o aborto e tantas outras coisas que são condenáveis à luz da Bíblia Sagrada.

Santiago Chiva, Granada disse...

Eu recomendo fortemente um emocionante vídeo: http://es.youtube.com/watch?v=pJtlrYmZe6Y
Foi feito para fomentar uma maior aceitação social das crianças na Alemanha. Foi realizado por diversos meios de comunicação privados, dentro de uma campanha que contou com o apoio de personalidades da vida pública, apresentadores de televisão e esportistas que não cobraram cachê pela sua participação. Também receberam o apoio de importantes grupos editoriais e financeiros. Desde a liberalização do aborto no país os dados oficiais falam de quatro milhões de abortos, e não é leviano dizer que a cifra real seja o dobro. Este clima tem provocado que as crianças sejam valorizadas como um efeito não desejado do prazer sexual. Curiosamente, depois da campanha, a natalidade tem crescido na Alemanha.
Santiago Chiva (Granada, Espanha)

Alberto Magalhães disse...

Irmão não me importo se este comentário vai ser publicado ou não. Só gostaria que você soubesse que se você observar espiritualmente os textos da escritora Clarice Lispector verá que ela não tem nada a ver com a mensagem evangélica.Antes de citá-la procure saber mais sobre ela se quer que as pessoas levem o seu blog a sério.Ok?

Edvânia e Sua Turma disse...

Aproveito o espaço e quero compartilhar minha pagina a todos. criei essa pagina no proposito de evangelizarmos as pessoas com deficiencias. https://www.facebook.com/pages/Evangelizando-Pessoas-com-Deficiencias/1415213468722731

Fábio Adiron disse...

Alberto: minha citação de Clarice Lispector que está em todos os meus blogs é apenas uma forma de dizer que não sabemos muito sobre nós mesmos. Não tem nenhuma função teológica. E, sim, eu conheço a obra da autora.

Edvânia: eu sou pai de um jovem com deficiência e acredito que a evangelização é para todas as pessoas e que não existe uma forma "especial" de Cristo para mostrar a eles que não seja a mesma que levamos a todas as pessoas. Abraços inclusivos