segunda-feira, 9 de junho de 2008

Afinal, de quem é a Terra ?

Na verdade a terra está contaminada debaixo dos seus habitantes; porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram o pacto eterno. (isaías 24:5)


Quase todos os dias recebo mensagens com alguma recomendação ecológica. Em defesa das árvores, dos bichos, dos mananciais de água. Não poderia ser muito diferente, uma vez que estamos acabando com o planeta com uma velocidade cada vez maior. O clima se deteriora. A água vai acabar. E nós vamos acabar chupando cana que está substituindo a produção de alimentos.

E estamos acabando com o planeta porque os seres humanos não valem mais pelo que são, mas pelo que tem. A nossa cultura e os nosso valores são todos atrelados ao consumo. E o consumo precisa de recursos naturais para se sustentar, e esses não são ilimitados.

Todo mundo, desde o cidadão comum aos mais poderosos governantes, sabe qual é a solução. Mas os interesses políticos e econômicos não permitem que ela seja aplicada. Quando alguém te pergunta qual é a sua posição como cristão, qual tem sido a sua resposta ? Fica em silêncio como têm ficado todas as religiões ou, como eu ouvi recentemente, "se o mundo, tal qual ele existe hoje, vai acabar, eu não preciso me preocupar com isso" ?

Não temos nada a dizer ou não conhecemos suficientemente a palavra de Deus a esse respeito ?

Deus criou todas as coisas e colocou o homem como mordomo (administrador) delas. Deveria cuidar do que lhe foi confiado e usufruir da criação para o seu sustento. Isso não foi suficiente e o homem quis ser igual a Deus, e se corrompeu tanto a ponto de Deus resolver destruir tudo. O pacto foi renovado com Noé e a missão de cuidar da Terra foi mantida: usar os recursos, mas proteger a natureza.

Por quê então, continuamos a destruir ?

O homem longe de Deus não se considera mordomo, mas proprietário, e continua querendo se igualar ao Criador. Alguns líderes costumam afirmar que precisamos sustentar o planeta. Deus não nos deu a capacidade de sustento, Ele nunca abriu mão dessa função. Ele é que alimenta as aves do céu e veste a erva do campo.

Mas nós queremos ser auto suficientes e independentes de Deus. Acreditamos que, sozinhos, podemos ser os agentes da nossa própria providência. Qual o resultado? Continuamos a destruir e a contaminar a Terra com o nosso pecado. Chegamos literalmente a contaminar animais com doenças humanas, como os macacos da Amazônia que sofrem de malária.

Sabemos que, em algum momento, Deus vai acabar com todas as coisas e criar novos céus e nova terra. Enquanto temos esse céu e essa terra nós, como cristãos, temos obrigações - nos somos os mordomos de Deus. Claro que nenhum de nós, individualmente, vai conseguir acabar com o efeito estufa - mas você colabora para minimizá-lo ou pega o carro para ir até a padaria na esquina?

Acreditar que vamos viver numa terra sem pecado e sem contaminação (mensagem que devemos levar a todos) é a base da nossa esperança. Isso não significa que podemos desprezar e destruir o que Deus nos deu nessa vida.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Fábio
Boas Notícias! O Lula já disse várias vezes que a produção de cana não comprometerá a de alimento e muito menos, será necessário desmatar além da área de preservação. Os Estados Unidos e a Europa virão compartilhar conosco (brasileiros) o que fizeram com suas próprias matas. Quanto aos cristãos, você disse tudo, continuarão vivendo a grande esperança de uma terra sem pecado e sem contaminação. Nas igrejas já há embriões dessa nova terra.
Ironias à parte, seu post está muito bom e verdadeiro.