segunda-feira, 16 de junho de 2008

A Bíblia e as deficiências

Não foram poucas as vezes que fui questionado sobre qual a posição que a minha igreja ou a minha religião tem em relação à questão da deficiência e, sempre acabei respondendo que não havia uma posição oficial ou formal a esse respeito. Mas, sendo ao mesmo tempo, presbítero e professor de escola dominical e pai de um menino com síndrome de Down, eu nunca fiquei satisfeito com essa resposta. A minha igreja é uma igreja calvinista que professa o tripé teológico reformado : “sola gratia, sola fides, sola scriptura” (só pela graça, só pela fé, só pelas escrituras), logo, foi justamente nas escrituras que fui buscar uma resposta. O meu texto é longo, porque são muitas as reflexões e são um ponto de partida para quem quer saber o que Deus pensa sobre as deficiências.

Quem criou a boca do homem ?

Partindo do começo da Bíblia, a primeira referência que encontrei estava em Êxodo 4, muitos podem até pensar que o livro que relata a saída do povo judeu do Egito é só sobre pragas, mandamentos e bezerros de ouro, mas lendo os 12 primeiros versículos desse capítulo encontramos Moisés em frente à sarça ardente, relutando contra o chamado que Deus lhe fazia e, num determinado momento ele diz : “Ah, Senhor! eu não sou eloqüente, nem o fui dantes, nem ainda depois que falaste ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. Ao que lhe replicou o Senhor: Quem faz a boca do homem? ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego?. Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” (Êxodo 4:10-12)

Nesse momento Deus está assumindo a responsabilidade pela deficiência de Moisés. E Ele diz que fez isso intencionalmente ! Logo, meu filho não é vítima de um “acidente genético”. Deus é o que fez dessa forma. Mas , o mais interessante é que Deus não vê atraso mental, nem cegueira, nem surdez como uma deficiência. Ele não vê nenhum movimento pelo qual o problema de fala de Moisés pudesse impedir que ele fizesse a obra para qual estava sendo chamado. Deus promete não só acompanhá-lo, mas a ensinar o que a sua boca deveria dizer. O sucesso de Moisés na vida não dependia de suas próprias habilidades, mas de Deus que estaria com ele.

Miquéias 6:8 diz : Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor requer de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benevolência, e andes humildemente com o teu Deus? Não há nada aqui que impeça qualquer pessoa, com ou sem deficiência, de ser bem sucedida diante de Deus. A minha função como pai não é a de preparar os meus filhos (com ou sem deficiência) para ser um membro produtivo da sociedade, mas ensiná-los a respeito da justiça, da bondade e de como caminhar humildemente com Deus.

Que mais a Bíblia fala sobre deficiências e problemas ?

A Bíblia diz muito mais a respeito de problemas de saúde. Um dos pontos que pais de crianças com algum problema enfrentam é o seguinte questionamento : se você diz que seu Deus é bom, como é que ele permite que essas coisas aconteçam ? Por que é que Ele faz com que a sua vida se torne mais complicada e lhe dá esse tipo de preocupação ? Existem dois patamares em que isso pode ser discutido, o primeiro é porque qualquer pessoa fica doente em algum momento da vida, outro é porque algumas pessoas em particular tem problemas ou deficiências.

Do ponto de vista geral, a Bíblia deixa bem claro porque os homens tem um fim mortal. Por causa do pecado. Quando Deus criou o mundo e o homem não havia doença nem morte. Mas os nossos pais ancestrais, Adão e Eva pecaram, desobedecendo as ordens de Deus ( Gênesis 2 e 3) e, nesse momento a morte passou a fazer parte da raça humana, uma herança que cada um de nós recebe ao nascer : “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.” (Romanos 5:12).

Um pouco mais adiante, no mesmo livro de Romanos, aprendemos que a morte não se aplica somente à raça humana mas a toda criação : “Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora. “ (Romanos 8:20-22)

Todos nós somos afetados. A partir do momento em que nascemos, os efeitos cumulativos de doenças hereditárias, a poluição dos nossos meios de vida, e uma hoste de vírus e bactérias vão destruindo aos poucos o nosso corpo até chegarmos à morte. A doença é apenas o início do processo de morte e é causada porque nós, pessoas, somos pecadores. Você pode até argumentar que não justo que paguemos pelo pecado de Adão, mas não demora muito para que você pratique os seus próprios pecados e essa “pena de morte” é tão certa para você como foi para Adão.

Mas também existem boas notícias. Deus não nos deixa abandonados para morrer. No seu amor Ele desenhou um plano para resolver o problema criado por Adão e Eva. O seu plano se completou finalmente quando Deus mesmo se fez homem e morreu voluntariamente na cruz para pagar a pena de morte que cada um de nós merecia : “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 6:23).

A Bíblia diz mais a esse respeito : “Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.” (Romanos 5:8), e mais : “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades ; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós.” (Isaías 53:5-6)

Portanto, a razão pela qual todas as pessoas tem doenças é por causa do pecado. Mas tome um cuidado, o fato de uma pessoa estar temporariamente doente não significa que aquela doença específica foi o castigo por uma “má ação” ou que estar saudável, também temporariamente, indica uma pessoa que está vivendo em “pureza”. Essa falsa teologia da prosperidade não tem nenhuma base bíblica e só serve para confundir as pessoas. A verdade é, todos pecamos, todos vamos morrer, mas Cristo nos garante uma vida eterna através do seu sacrifício na cruz.

Por quê essa criança tem esse problema ?

Os discípulos de Jesus fizeram essa pergunta em João 9:1-3. Eles se dirigiram a um homem que era cego de nascença e perguntaram : “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?” (João 9:2). Essa costuma ser uma reação comum ao sofrimento pessoal, pensar que eu estou sendo punido por Deus. Se alguém está doente é porque fez algo errado. Existe evidência a esse respeito na Bíblia, mesmo porque a escritura nos diz que colhemos o que semeamos. Esse homem tinha semeado pecado e estava colhendo sua deficiência ?

Não é raro encontrarmos pais e mães de crianças com problemas se sentindo culpados por essa condição. Acreditam que Deus lhes deu essa criança para que eles reconhecessem os seus erros e se aproximassem mais d’Ele. Pensam que , se eles tivessem sido pessoas mais espirituais, seu filho não teria nascido daquele jeito.

Certamente os pais daquele homem cego não estavam suficientemente próximos de Deus. Afinal de contas , quem realmente está ? Mas a resposta que os discípulos ouviram foi : “Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”(João 9:3). Deus queria ser glorificado através da cura daquele homem e o tinha feito cego para que o mundo pudesse ver que Jesus tinha o poder para curar. Que papel fantástico aquele homem teve na história !

Algumas vezes, Deus quer ser glorificado através da cura mas, em muitas outras vezes Ele recebe glória de outra forma. Na segunda carta que Paulo escreve à igreja de Corinto, ele fala a respeito de um “espinho na carne” que o torturava. Ele orava constantemente pedindo a cura desse mal. Claro que Deus poderia ser glorificado caso o curasse mas, nesse caso, Ele queria mostrar outro tipo de poder, o poder de agir através das fraquezas de uma pessoa. A resposta de Deus à oração de Paulo é : “a minha graça te basta, porque o eu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2 Coríntios 12:9). Por isso Paulo pode se vangloriar do seu defeito para que as pessoas vissem o poder de Deus agindo através dele. Essencialmente essa é a mesma resposta que Deus deu a Moisés em Êxodo 4. Deus usou um homem que era pesado de língua e de fala para libertar o povo de Israel da escravidão de forma que ninguém pudesse dizer que Moisés tinha feito isso pelos seus méritos, mas pelo poder de Deus.

Eu nunca ouvi falar de uma pessoa com síndrome de Down que tivesse sido “curada”. Deus poderia fazer isso se quisesse. Mas Deus tem sido glorificado mesmo através das pesquisas feitas a partir dessa situação genética específica que é a trissomia 21. Muitas pessoas tem se interessado mais por bioquímica , e é a bioquímica, mais do que qualquer outro ramo da ciência que tem declarado que nós, humanos, somos o resultado de um projeto complexo e não um “acidente evolutivo”. Quanto mais as pessoas pesquisam a incrível complexidade das células, mais elas são levadas a crer que nós fomos maravilhosamente criados. E com isso glorificar o Deus da criação.

4 comentários:

Vilma disse...

Sim fomos maravilhosamente criados... , e Deus vê beleza em seu trabalho, eu também.

Ione Nadu disse...

Me emocionei com o seu texto, que realmente me fez refletir... Acredito desde quando maravilhosamente, Deus criou a Kamilly e me confiou ela, que temos uma missão a cumprir como mãe e filha, e ele tem realmente nos usado e se mostrado através da minha princesa. Não consigo usar no momento as palavras certas para te explicar como me sinto nem como vejo essa ligação entre Deus, ela e eu, mas me sinto honrada por ser a mãe dela. Muito obrigada pelo texto!

Anônimo disse...

Um belo texto, Deus abençoe ricamente!!

Anônimo disse...

Oi... buscando na net sobre o assunto encontrei sua matéria... gostaria de indicar um livro que tem me ensinado muito sobre o assunto:

RANAURO, Hilma; SÁ, Nídia Regina Limeira de. O discurso bíblico sobre a deficiência. Niterói, RJ: Muiraquitã, 1999.

Boa leitura!!!